Estatísticas…

…Adoro checá-las no painel do blog.

Dá pra ver quantas pessoas viram sua página durante o dia, todos os dias e SEMPRE, sempre tem alguém. Normalmente 15, 20 views – O que me surpreende, porque mal tenho comentários. Quando posto o link no Facebook sobe pra umas 40-50 visitas.
Acho que isso deve-se à eu mesma mal comentar em blogs alheios, mas hoje não faz diferença.
Inicialmente achava que uma boa forma de proliferar visitas aqui era justamente levando meu blog à outros, participando do mundo dos expressivos compulsivos, reblogando, puxando um pouco o saco mesmo sem vontade, só pra trazer possíveis admiradores. E hoje, vendo que fracassei nisso (ainda bem!) percebo o quão legal é acompanhar internautas sem que eles saibam da minha existência e o quão legal é ser acompanhada sem saber quem me acompanha também.
O fato de não fazer idéia de quem é meu público ou de quem lê as coisas que escrevo (ou de quem compatilha dos meus ideais) faz eles serem ainda mais verdadeiros, pois me sinto livre ao escrever, não penso nos que esperam um resultado.

Há algumas semanas terminei de ler  “Suicídios exemplares” de Enrique Vila-Matas.
No livro há um conto  curioso sobre um cara que escrevia obras geniais partindo do princípio de que elas só seriam expostas após a sua morte – nem esposa ou filhos sabiam desse seu ofício, que ele intercalava dando aulas de educação física. 
Sempre lia muito e era elogiado diante de qualquer duas frases que escrevia, por isso por mais que tentasse disfarçar, sabia da sua veia literária.  
Mantinha o segredo pois achava que lançando uma primeira obra, todos os leitores esperariam por uma segunda que a superasse, ou fariam críticas, elogios, enfim…Qualquer coisa que influenciaria sua forma de se expressar. Enquanto que se programasse uma forma delas aparecerem após a sua morte, a surpresa do “tesouro perdido” já agragaria mais valor às mesmas.
Apesar de “meio” utópico e pretensioso (rs) achei que o argumento que o Vila-Matas usou no conto tinha coerência, fazia sentido.
E mais uma vez lembrei do que sinto ao ver as estatísticas do blog.
Essa certeza de que tem alguém vendo, mas não necessariamente receber um feed back faz da expressão algo mais autêntico, penso eu.

Não sou do tipo modesta e gosto de receber elogios, comentários ou falar sobre o que faço mas sei que a essência da coisa não é essa. A essência é fazer e só.

Estatísticas já são bem valiosas. E o livro citado também! Contos ótimos, recomendadíssimo. :-)

Anúncios

Sobre ariaround

25, santista, apaixonada e viajante em todos os sentidos...agora em Goa, na Índia. Amante da escrita, de lugares novos, crenças e pessoas.

4 Respostas para “Estatísticas…

  1. Ivez

    mas sempre é bom receber um comentariozinho, um elogio ou qualquer coisa né…
    tenho seu blog no meu favoritos as vezes demoro pra voltar aqui, e quando chego tá tudo mudado, monte de texto novo e fotos/imagens incriveis, esse blog é uma perola da internet… e nao to dizendo isso pra puxar o saco.. é pq acho mesmo…talvez nao seja todo mundo q pense assim.. mas é como deve ser né…devemos fazer por fazer e não esperar algo em troca
    ;-)

  2. Acabei de conhecer seu blog. Eu gostei muito e devo acompanhar daqui pra frente. Visitas do RN serão meu oi nas suas estatísticas o/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: