Meus paper cuttings

papel cortado a mão em sanduiche de vidro

Meio de expressão ainda novo pra mim, e as infinitas possibilidades que ele proporciona muito me animam!

Site pra eles, em construção! :-)

Escher in het paleis

Escher Escher Escher…Preciso dizer alguma coisa?

Há bastante tempo (quase 10 anos eu diria) sonho com o dia em que veria suas obras tão de perto.
Peguei um trem até Den Haag (mais ou menos 1 hora de Amsterdam) e fui conhecer o palácio que expõe suas coisas. Eu já tinha matado um pouco da vontade com a exposição do Centro Cultural Banco do Brasil (que foi feita em parceira com o palácio), mas é claro que a experiência em Den Haag foi única e incomparável!

Além das obras, eles também expõem algumas pedras de litografia e madeira das xilogravuras usadas pra fazer todas as que estão espalhadas por ai! Queria muito roubar um pedacinho daquilo….

O palácio é o antigo palácio de inverno da familia real holandesa  e tem três andares com obras do querido Maurits. Explica as fases da sua arte, os desenhos, as xilos e quando a coisa descambou pro infinito e eternidade, temas que relacionam muito com as obras.

Tem fotos, instrumentos, anotações, peças tridimensionais em madeira, e tem também algumas instalações como a que foi feita no Brasil da casa desproporcional. Além dela tem a bola que reflete sua imagem, tem um chão que desmorona com videomapping, e algumas outras pinturas na parede que também remetem a ilusao de ótica.

À parte da maravilha escheriana, a decoração do palácio também impressiona. Apesar de mobília e afins ja ter quase tudo ido embora, os ambientes são amplos e espelhados, coisa que combina muito com Escher. Todas eles são decorados com lusters maravilhosos de um artista de Rotterdam chamado Hans Van Bentem e só fazem o conjunto todo ser mais especial!

Cat Cabinet

Dentre tantos museus inusitados que Amsterdam oferece, não resisti ao KattenKabinet – sim,  museu do gato!  ˆˆ

Assim como os museus de fotografia, ele fica num dos tantos predinhos nos canais da cidade, mas além de manter a arquitetura do lado de fora, mantém do lado de dentro também.

A casa e o prédio adjacente foram construídos em 1667 para uns patrícios e depois chegou a ser habitada por prefeitos e outros importantes da cidade. Em 1985 o prédio foi restaurado e em 1990 o então proprietário, Bob Meijer, fundou o museu em memória ao seu gato (JP Morgan :P).

A família ainda habita o segundo andar do prédio, assim como alguns gatos (eu só vi 2). Esses, muitas vezes, mais parecem guias te acompanhando de ambiente em ambiente. É sensacional.

A coleção do museu inclui pinturas, desenhos, esculturas e outras obras de arte de Pablo Picasso, Rembrandt, Henri de Toulouse-Lautrec, Corneille, Meijer Sal, Steinlen Théophile e Ciuha Jože.

Enfim, fui por pura curiosidade e acabei encantada com a quantidade de obras e com a beleza do interior do prédio, especialmente! Tirei muitas fotos e fiz uma seleção:

Dá pra fazer um tour online no site deles, aqui. :)

FOAM & Bertien Van Manen

Nos últimos dias tive a oportunidade de visitar dois dos museus de fotografia de Amsterdam!

Ambos são alguns dos tantos museus instalados nos canais da cidade, montados dentro dos próprios prédios residenciais, então mantém a arquitetura quase intacta.

O primeiro que fui foi Huis Marseille, que está expondo fotos do sul africano Guy Tillim,  feitas no Haiti e em São Paulo. Fui por esse motivo, mas a exposição não me chamou a atenção. As fotos da cidade me pareceram impessoais, a impressão que tive era que ele estava fazendo troca de vôos por ali e fez um clicks sem pensar em qualquer muvuca esquisita que viu. O museu em si é simples, então acho que só vale a pena se alguém bem legal estiver expondo.

Minha segunda visita, dessa vez ao FOAM, foi mais proveitosa. O espaço é maior, e além de exposições eles dão workshops, palestras, fazem encontros…É um lugar bacana pra fotógrafos e amantes de fotografia!

No momento estão em cartaz fotos do New York Times – algumas olímpicas, alguns ensaios, algumas fotos do Kuwait do Sebastião Salgado, fotos de guerra… – Uma ótima seleção, adicionada à cartas, pedidos, e explicações dadas pelo jornal.

Além dessa, estava exposta também uma seleção de uma fotógrafa holandesa que gostei MUITO de ter conhecido!

Bertien Van Manem já tem lá seus 70 e poucos anos e apesar de ter começado como fotógrafa de moda na europa, passou a viajar muito e fazer foto jornalismo. O projeto que está em cartaz dessa vez é o ” Let’s sit down before we go”.  São mais de 60 fotos feitas entre 1991 e 2009 com uma pequena câmera 35 milímetros, na Rússia, Moldávia, Cazaquistão, Uzbequistão, Ucrânia, Geórgia e Tatarstan. Ela permaneceu períodos longos com as pessoas que conheceu nas viagens, aprendeu as línguas e tudo mais. Isso produziu fotos íntimas e únicas.

Tenho bastante curiosidade naquele lado do mundo, parece tão “kitsch” e verdadeiramente diferente…A expo pra mim foi prato cheio. Compartilho alguns clicks! E vale a pena ver mais de Van Manem.

Rabisco

M. Lewandowski

Até parece fácil…Cof cof

“Fairy” Enough

Pinturas EM ÓLEO (!) do maluco IceMan. Queria que todos os meus sonhos fossem assim. :-)

Picasso light paintings

Pra acompanhar, som dos incríveis “Modern Lovers”, do início dos anos 70.

 

Katie Scott

MUITO apaixonada por esse trabalho lindo de viver!

Mais do mesmo aqui.

Ciraolo

mais aqui